Ceará guarda fóssil de inseto voador de 125 milhões de anos

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Considerado raro pelos pesquisadores, o fóssil foi encontrado em território cearense.

Pesquisadores encontraram um novo fóssil de inseto voador na Formação do Crato, na Bacia do Araripe, sul do Estado do Ceará

Esse é o segundo fóssil de adulto da família Oligoneuriidae a ser catalogado no planeta. 

De acordo com artigo publicado na revista “PLOS One”, na semana passada, três instituições do Brasil são responsáveis pela descoberta: 

  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) 
  • Universidade Regional do Cariri (URCA) 
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV) 

Segundo o site SoCientífica, o entomólogo Frederico Salles, um dos autores do estudo, explicou: 

“A distribuição das veias das asas de Incogemina combina um padrão no qual algumas veias longitudinais tendem a se juntar, como na maioria dos representantes da família Oligoneuriidae, com um padrão ancestral, típico das demais efêmeras. Essa é principal característica que faz essa nova espécie ser única”. 

O paleontólogo Antônio Álamo Saraiva, acrescentou: 

“Agora que a primeira escavação controlada na Formação Crato foi realizada pela equipe do Laboratório de Paleontologia da URCA, certamente novas informações acerca da evolução das efêmeras devem surgir, além de dados sobre o ambiente pretérito da Formação Crato, área de intensa exploração do calcário laminado.” 

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.