Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Celso de Mello retira sigilo do vídeo de reunião ministerial

Celso de Mello retira sigilo do video de reuniao ministerial
Imagens: Carl de Souza/AFP e Carlos Moura/STF
COMPARTILHE

“Tem particularidades ali de interesse nacional”, disse Bolsonaro sobre o vídeo.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, retirou sigilo, nesta sexta-feira (22), da gravação de reunião ministerial do último dia 22 de abril.

A reunião é apontada pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, como prova de que o presidente da República, Jair Bolsonaro, tentou interferir na autonomia da Polícia Federal (PF).

O vídeo é parte do inquérito autorizado pelo decano do STF, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), para apurar a acusação de Moro.

Em diálogos da reunião ministerial transcritos pela Advocacia-Geral da União (AGU) e entregues ao STF, o presidente aparece reclamando da falta de informações de órgãos de inteligência e afirmando que iria “interferir”.

Ainda de acordo com o documento, Bolsonaro afirmou na reunião que não iria esperar “f…” alguém da família ou amigo dele para trocar a “segurança” no Rio de Janeiro.

A reunião teve a presença de Bolsonaro, do vice-presidente, Hamilton Mourão, de Moro e de outros ministros. Ao todo, teriam participado 25 autoridades.

Nesta quinta-feira (21), Bolsonaro afirmou em uma live no Facebook que a divulgação do vídeo mostrará que “não tem nada”, “nenhum indício” de que interferiu na PF:

“Agora, só peço [a Celso de Mello]: não divulgue a fita toda. Tem questões reservadas, tem particularidades ali de interesse nacional. O resto, do que eu falei, tem dois pedacinhos de 15 segundos que é questão de política externa e não pode divulgar. O resto, divulga. E tem bastante palavrão, tá? Se o ministro resolver divulgar, vou cumprir a decisão judicial, tá certo?”

Ainda de acordo com Bolsonaro, o “mais importante” é que a divulgação do vídeo “vai dizer que não houve uma palavra” mencionando a Polícia Federal.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários