Centrão quer enfraquecer reforma para conter reeleição de Bolsonaro

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Precisamos fazer uma reforma que não garanta a reeleição de Bolsonaro”, disse o deputado Paulinho Pereira, do Solidariedade, presidente da Força Sindical.

Durante evento das centrais sindicais, em São Paulo, nesta quarta-feira (1º), Dia do Trabalho, o deputado federal Paulinho da Força, do Solidariedade, declarou:

“O que estamos discutindo dentro do Centrão é que precisamos fazer uma reforma que não garanta a reeleição de Bolsonaro.”

O deputado apresentou mais detalhes sobre o que é discutido durante as reuniões dos partidos que se reúnem no grupo conhecido como “Centrão”:

“R$ 800 bilhões garantem, de cara, e reeleição dele. Se dermos 800 [bilhões de reais],  como disse ele, significa que nos últimos 3 anos dele, há 240 bilhões ao ano para gastar. Eu acho que temos de ter em torno de 500 bilhões. 600 [bilhões de reais de economia nos próximos 10 anos] seria o limite para essa reforma.”

Paulinho da Força concluiu:

“Com esse discurso, tenho certeza que a gente traz todo mundo do Centrão, porque ninguém quer a reeleição de Bolsonaro.”

Esta narrativa não é novidade para os leitores da RENOVA. No dia 17 de abril, relatamos que, de acordo com Lauro Jardim, do jornal O Globo, alguns parlamentares de grande influência no Congresso têm dito reservadamente que aprovar esta reforma seria tornar Bolsonaro invencível em 2022.

“Pensando ‘estrategicamente’, alguns parlamentares avaliam que passar uma reforma entre R$ 500 bilhões e R$ 600 bilhões seria mais adequado'”, acrescentamos na matéria.

Em seu discurso neste dia 1º de maio, deputado Paulinho Pereira confirmou a informação, deixando bem claro o posicionamento dos políticos do Centrão.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.