Chanceler da Hungria: “Não queremos nos tornar um país de imigrantes. Queremos permanecer húngaros”

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O Ministro das Relações Exteriores da Hungria disse que respeita o posicionamento de outras nações, mas que seu país não deseja abrir as portas para imigrantes de forma indiscriminada.

Representando a Hungria na cúpula UE-África, o chanceler Peter Szijjarto disse que a pressão da imigração clandestina tende a aumentar na Europa por causa das atividades terroristas desestabilizando nações africanas.

O representante húngaro confirmou cooperação com vários país do continente africano em três áreas importantes:

a) defesa das fronteiras
b) apoio para desenvolvimento econômico
c) parceria na educação

Szijjarto deixou claro que o objetivo do país não é fechar completamente as portas para imigrantes – apenas conter a invasão de ilegais – e ofereceu 976 bolsas escolares em universidades da Hungria para estudantes africanos.

 

Com informações de: (1)

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque