Chanceler do Brasil diz que ‘climatismo’ ameaça soberania das nações

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Declaração foi feita a menos de duas semanas de uma importante cúpula da ONU sobre o meio ambiente.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, classificou a agenda utilizada por aqueles que alegam combater as mudanças climáticas como um complô para destruir a soberania das nações.

Nesta quarta-feira (11), durante discurso no Heritage Foundation, nos Estados Unidos, Araújo atacou o que chamou de uma ideologia de “climatismo”:

“Pelo debate que está se dando, parece que o mundo está acabando, e esse é o verdadeiro objetivo do climatismo. Os portadores desta ideologia querem criar um equivalente moral à guerra a fim de impor políticas e restrições que correm contra liberdades fundamentais.”

Segundo a agência AFP, o chanceler do Brasil acrescentou:

“Como pode alguém, em tempos de paz, sonhar em romper a soberania de um país como o Brasil sobre seu próprio território, dizendo ‘a Amazônia está pegando fogo, de novo’? Por causa da ideologia, por causa do grito primitivo da crise climática, ‘Vamos salvar o planeta’.”

Araújo aceitou que as mudanças climáticas estão acontecendo, mas lançou dúvidas sobre o consenso esmagador de cientistas de que a ação humana está causando o aumento de temperaturas, além de ter minimizado o impacto dos incêndios no Brasil, que, segundo ele, estão dentro do normal.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.