Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Chefe de Hong Kong cogita intervenção militar da China

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Chefe de Hong Kong cogita intervenção militar da China
COMPARTILHE

Os protestos, que já se estendem por quatro meses, vêm prejudicando a economia e impactando fortemente o turismo local.

Carrie Lam, chefe do Executivo de Hong Kong, alertou para a possibilidade de intervenção militar da China na região caso os manifestantes continuem protestando.

Em entrevista coletiva, nesta terça-feira (8), Lam declarou:

“Ainda penso que nós mesmos devemos encontrar soluções, e esta também é a posição do governo central [da China]. Porém, se a situação ficar ‘tão ruim’, não poderemos descartar nenhuma opção.”

A chefe do Executivo disse que a constituição de Hong Kong prevê intervenção chinesa, mas não detalhou sob quais circunstâncias a ação poderia ocorrer, informa o jornal Gazeta do Povo.

Além disso, a líder de Hong Kong pediu a críticos em outros países que aceitem que os violentos protestos deixaram de ser “um movimento pacífico pela democracia”.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram