Chefe do FMI pressionou para melhorar posição da China em relatório

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Banco Mundial encerra relatório após pressão sobre classificação da China.

O Banco Mundial afirmou, nesta quinta-feira (16), que encerrou a publicação de um relatório sobre o ambiente para investimento e negócios nos países.

A decisão acontece após uma investigação citar “pressão indevida” de autoridades importantes, incluindo da então presidente-executiva do banco Kristalina Georgieva, para impulsionar a classificação da China em 2017.

Em comunicado, o Banco Mundial disse que a decisão veio após informes de auditoria interna levantarem “questões éticas, incluindo sobre a conduta de ex-funcionários do Conselho, bem como de funcionários atuais e/ou antigos do Banco“.

O relatório citou “pressão direta e indireta” de autoridades seniores no escritório do então presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, para mudar a metodologia do relatório de forma a aumentar a pontuação da China.

O texto acrescenta, segundo o jornal Folha, que isso provavelmente ocorreu sob a direção de Kim.

A classificação final da China no relatório relatório de 2018 do Banco Mundial, publicado em outubro de 2017, subiu sete posições após as mudanças na metodologia de dados em comparação com o esboço inicial do relatório, ficando na 78ª posição.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.