Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Chefe da Igreja chilena criticado por opinião sobre transexuais

Tarciso Morais

Tarciso Morais

COMPARTILHE

“Se um gato tiver nome de cachorro, não passará a ser um cachorro”, declarou Ricardo Ezzati.

Horas antes que o projeto de lei sobre identidade de gênero entre em uma etapa crucial no Congresso chileno, o arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati, fez uma comparação que está sendo duramente criticada:

É preciso ir além do nominalismo, é preciso ir à realidade das coisas. Não é porque eu ponho um nome de cachorro em um gato que ele passa a ser cachorro.

A transexual Daniela Vega, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro, reagiu pelo Twitter:

#Ezzati, venha conversar comigo. Você se atreve?

Daniela desempenhou um papel fundamental para acelerar a tramitação de um projeto de lei que está há quatro anos no Congresso e, se aprovado, permitirá que as pessoas transexuais possam mudar seu nome e seu gênero no Registro Civil, entre outros pontos.

O presidente chileno, Sebastián Piñera, se referiu às palavras do chefe da Igreja local:

Quando se trata de identidade de gênero, o respeito, a dignidade e o bom vocabulário são essenciais. Comparar uma situação que afeta seres humanos com animais me parece muito pouco apropriado.

Apesar da repercussão, a Igreja não pediu oficialmente desculpas. Em um comunicado, o Arcebispado de Santiago lamentou que “o uso de uma alegoria” por parte de Ezzati tenha sido interpretado como uma ofensa.

Nesta segunda-feira (09), uma comissão mista de senadores e deputados começará a discutir no Congresso a última etapa do projeto de lei.

 

Com informações de: [ElPais]

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram