Chile reafirma que eleições da Venezuela são fraudulentas

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, reafirmou nessa quarta-feira (2) sua visão de que as próximas eleições na Venezuela serão “fraudulentas” e assegurou que o Chile não vai reconhecê-las.

Em conversa com o escritor peruano e Prêmio Nobel, Mario Vargas Llosa, o novo presidente chileno declarou:

Vejo a experiência da Assembleia Constituinte na Venezuela, eleita de forma completamente fraudulenta, como fraudulentas serão, se forem realizadas, as eleições de maio na Venezuela, que o Chile, é claro, não vai reconhecê-las.

Os venezuelanos estão convocados às urnas em 20 de maio para uma eleição presidencial em que Maduro aparece como favorito.

De acordo com informações da Isto É:

Sobre a Venezuela, também se expressou o ministro das Relações Exteriores do Chile, Roberto Ampuero, anunciando quais deverão ser as diretrizes da próxima reunião do Grupo de Lima, agendada para 14 de maio, para discutir a situação política na Venezuela.

“Nós como Chile, e isso compartilhamos com a maioria dos países que compõem o Grupo de Lima, pensamos que não se pode tratar de simplesmente mais uma declaração, já fizemos várias declarações e não foram ouvidas”, afirmou.

O Grupo de Lima reúne Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru. Foi formado em agosto em Lima e rechaça a ruptura da ordem democrática na Venezuela.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia