China acusa Ocidente de utilizar o Cristianismo como arma

Idiomas:

Português   English   Español
China acusa Ocidente de utilizar cristianismo como arma
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Partido Comunista da China (PCC) desconfia de qualquer organização rival suscetível de ameaçar sua autoridade.

Uma autoridade da China acusou as “forças ocidentais” de utilizar o cristianismo para provocar instabilidade no país e, inclusive, “derrubar” o regime comunista.

Xu Xiaohng, presidente do Movimento Patriótico Protestante, afirmou:

“As forças ocidentais antichinesas tentam perturbar a estabilidade social de nosso país e, inclusive, derrubar o poder político por meio do cristianismo.”

Para evitar qualquer influência estrangeira, a China estipulou cinco organismos estatais aos quais devem ser filiados obrigatoriamente as religiões reconhecidas no País:

  • Budismo;
  • Catolicismo;
  • Islamismo;
  • Protestantismo;
  • Taoismo.

Segundo a agência AFP, o chinês Xu acrescentou:

“Seguir na via de ‘chinificação’ do protestantismo é a ardente esperança do Partido e do governo. É uma decisão inevitável para o desenvolvimento saudável da igreja chinesa. É necessário eliminar sem cessar a marca da ‘religião estrangeira’ associada ao cristianismo chinês.”

Na semana passada, em Hong Kong, o embaixador dos Estados Unidos para a liberdade religiosa, Sam Brownback, acusou a China de desenvolver uma “guerra religiosa (…) que não pode vencer”.

O regime comunista chinês reagiu com um pedido para que Washington “pare de utilizar a religião para interferir nos assuntos internos da China”.

Curta, siga e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
SIGA A RENOVA NO TWITTER

Deixe seu comentário...

Veja também...