China afirma que não cederá às pressões comerciais dos EUA

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Por mais de um ano, nossa sinceridade e boa vontade em promover as negociações são claras”, disse o regime chinês.

Os Estados Unidos impuseram nesta sexta-feira (10) um aumento de 25%, dos atuais 10%, nas tarifas sobre as importações chinesas avaliadas em US$ 200 bilhões.

À 0h01 (horário local da Costa Leste dos EUA, 1h01 de Brasília) entrou em vigor o aumento nas tarifas a mais de 5 mil produtos chineses, anunciado no último domingo (5) pelo presidente americano, Donald Trump.

O regime comunista da China havia dito nesta quinta-feira (9) que não pretende avançar as negociações comerciais se os americanos aumentarem suas tarifas novamente, afirmando que não “capitulará” ante as pressões de Washington.

“Por mais de um ano, nossa sinceridade e boa vontade em promover as negociações são claras”, disse Gao Feng, ministro do Comércio, segundo o UOL.

“A China não capitulará a nenhuma pressão e nós temos a determinação e capacidade de defender nossos interesses”, acrescentou.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.