China intensifica exportação de armas para África

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Entre 26 de junho e 10 de julho foi realizado o primeiro Fórum de Defesa e Segurança China-África, organizado pelo Ministério da Defesa chinês.

O objetivo do fórum é fortalecer o aprofundamento da cooperação sino-africana na área da defesa e segurança.

Do fórum participaram militares de 50 países africanos, bem como representantes da União Africana.

Os militares chineses mostraram a seus colegas africanos as capacidades das forças terrestres, navais e aéreas e discutiram vários temas como os planos da África de fortalecer sua defesa e segurança, bem como a cooperação militar entre a China e a África.

Nos últimos anos muitos países desse continente têm aumentado as importações de armas chinesas. Segundo o Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês), entre 2013 e 2017 a exportação de armas chinesas para África aumentou 55% em comparação com 2008-2012.

É importante ressaltar que, no mesmo período, a África reduziu em 22% o volume total de importações de armas, aumentando de 8,6% para 17% a cota-parte da China nessas importações.

Os Estados Unidos, por sua vez, são responsáveis por apenas 11% das importações.

A China aumentou não apenas o volume das suas exportações militares, mas também a gama de armas exportadas, bem como o número dos seus parceiros comerciais na África.

Pequim fornece armas à Nigéria, Tanzânia, Chade, Gâmbia, Namíbia, Burundi, Moçambique, Gabão, Zâmbia, Zimbábue, Gana, Marrocos, Sudão, Iêmen, Camarões, Níger e Ruanda.

 

Com informações da Sputnik Brasil

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.