China intensifica exportação de armas para África

Entre 26 de junho e 10 de julho foi realizado o primeiro Fórum de Defesa e Segurança China-África, organizado pelo Ministério da Defesa chinês.

O objetivo do fórum é fortalecer o aprofundamento da cooperação sino-africana na área da defesa e segurança.

Do fórum participaram militares de 50 países africanos, bem como representantes da União Africana.

Os militares chineses mostraram a seus colegas africanos as capacidades das forças terrestres, navais e aéreas e discutiram vários temas como os planos da África de fortalecer sua defesa e segurança, bem como a cooperação militar entre a China e a África.

Nos últimos anos muitos países desse continente têm aumentado as importações de armas chinesas. Segundo o Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês), entre 2013 e 2017 a exportação de armas chinesas para África aumentou 55% em comparação com 2008-2012.

É importante ressaltar que, no mesmo período, a África reduziu em 22% o volume total de importações de armas, aumentando de 8,6% para 17% a cota-parte da China nessas importações.

Os Estados Unidos, por sua vez, são responsáveis por apenas 11% das importações.

A China aumentou não apenas o volume das suas exportações militares, mas também a gama de armas exportadas, bem como o número dos seus parceiros comerciais na África.

Pequim fornece armas à Nigéria, Tanzânia, Chade, Gâmbia, Namíbia, Burundi, Moçambique, Gabão, Zâmbia, Zimbábue, Gana, Marrocos, Sudão, Iêmen, Camarões, Níger e Ruanda.

 

Com informações da Sputnik Brasil
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia