Português   English   Español
Português   English   Español

China legaliza comércio de derivados de tigres e rinocerontes

China legaliza comércio de derivados de tigres e rinocerontes
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

A China anunciou nesta segunda-feira (29) que retomará, de forma limitada, o comércio de produtos procedentes de tigres e de rinocerontes.

A medida provocou severas reações por parte de ativistas de defesa dos animais, que temem um aumento do tráfico destas espécies em risco.

O regime comunista chinês anunciou que o comércio de produtos como o osso de tigre ou o chifre de rinoceronte será autorizado em circunstâncias particulares.

Entre estas circunstâncias “particulares” estão pesquisa científica, venda de obras de arte e pesquisa de tratamentos médicos.

O osso de tigre e o chifre de rinoceronte moídos são ingredientes cobiçados na medicina tradicional chinesa, apesar da polêmica sobre suas virtudes.

Para se ter acesso a estes produtos será necessária uma autorização especial e apenas os médicos de hospitais reconhecidos pela Administração Nacional de Medicina Tradicional poderão utilizá-los, destaca a circular.

Os volumes comerciais serão estritamente controlados e o comércio destes produtos estará proibido, exceto nos casos previstos.

O tigre está classificado como espécie em risco de extinção pela União Internacional para a Conservação da Fauna (UICN). Em relação às distintas espécies de rinocerontes, a UICN os classifica em várias categorias: vulneráveis, quase ameaçado ou em risco crítico de extinção.

 

Adaptado da fonte Correio Braziliense

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...

Curta a RENOVA!