China não consegue estimular mais nascimentos no país

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Durante décadas, a China restringiu duramente o número de bebês que as mulheres podiam ter. Agora, está encorajando-as a ter mais filhos – e isso não está funcionando.

Quase três anos depois de afrouxar a política do filho único e permitir aos casais terem dois filhos, o regime comunista da China começou a perceber que seus esforços para aumentar a taxa de natalidade no país vêm fracassando porque os pais não querem ter mais filhos.

Dados do Escritório Nacional de Estatísticas da China mostram que o número de nascimentos caiu cerca de 630 mil em 2017 na comparação com o ano anterior. No mesmo período, o percentual da população com mais de 60 anos passou de 16,7% para 17,3%.

Funcionários procuram meios de estimular o baby boom preocupados com que uma iminente crise demográfica ponha em perigo o crescimento econômico – com reflexos sobre o governo do Partido Comunista e sobre seu líder, Xi Jinping.

É uma surpreendente reviravolta do partido, que pouco tempo atrás impôs multas aos casais que tivessem mais de um filho e forçou centenas de milhões de mulheres a abortar ou serem operadas para se tornar estéreis. A China é o país mais populoso do mundo, com mais de 1,4 bilhão de habitantes.

 

Com informações do Estadão

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.