China usa satélites fabricados pelos EUA para controle interno e militar

Idiomas:

Português   English   Español
China usa satélites fabricados pelos EUA para controle interno e militar
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Uma frota de satélites fabricados pelos EUA estaria ajudando o regime comunista da China a controlar sua população e contribuindo para as operações de suas forças armadas.


Uma matéria publicada nesta terça-feira (23) pelo Wall Street Journal afirma que apesar da crescente preocupação de Washington com o poder de Pequim, empresas americanas venderam satélites à companhia Asia Satellite Communications (AsiaSat).

A companhia é controlada em parte pelo regime comunista e tem sede em Hong Kong, território que tecnicamente não está sujeito à legislação americana que proíbe a venda de satélites por motivos de segurança.

Essa empresa então cede a capacidade dos satélites em órbita para clientes chineses e outros.

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

A AsiaSat é controlada conjuntamente pelo banco de investimento Citic Group, respaldado pelo regime chinês, e o americano Carlyle, que em conjunto representam 75%.

A empresa colocou em órbita nove satélites fabricados por companhias americanas, entre elas a Boeing e SSL, uma subsidiária de Maxar Technologies na Califórnia, com sede no Colorado, segundo o jornal.

O periódico americano ainda cita documentos apresentados à Bolsa, relatórios financeiros e a funcionários da empresa para explicar como a China driblou a norma americana, registra o Correio Braziliense.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...