Português   English   Español

OPINIÃO: O choque de realidade da grande mídia

O choque de realidade da grande mídia

Artigo escrito pelo colaborador Carlos Júnior.

A grande mídia brasileira e parte importante da americana sempre tratou o Partido Republicano (GOP) com enorme desdém. Em um misto de paixão ideológica exagerada com pitadas de psicopatia, desonestidade e desconhecimento, os republicanos são tratados com párias, intolerantes e reacionários malvados, daqueles malucos que são tão folclóricos quanto perigosos.

Em um artigo do The Washington Post do colunista Fareed Zakaria – republicado pelo Estadão – vemos o ódio ao GOP muito bem destilado. A desculpa é sempre a mesma desde 2015: a agremiação tornou-se uma ameaça séria aos Estados Unidos e ao mundo pelo surgimento de Donald Trump. E claro, sempre o argumento esgotado da ameaça à democracia.

Com qualquer representante da direita política é assim. Sempre que Donald Trump ou seu clone inglês Nigel Farange – o Mr. Brexit – fala algo contra o consenso que a mídia estabelece e ajuda a ser a regra, são chamados de ‘’conspiracionistas’’. Seja qual for o assunto em questão, a alcunha é invocada para desacreditá-los. Esse é o modus operandi favorito da grande mídia.

No caso do Partido Republicano, o ódio sempre existiu pelos mesmos motivos. Ou alguém acreditou que George Bush era chamado de ‘’racista elitista’’ por não ser republicano? Até Barry Goldwater, o conservador de ternos fúnebres e óculos deprimentes, foi chamado de fascista e racista. Dane-se o fato de que ele andou em diversas passeatas ao lado de Martin Luther King.

A esteira do ódio infantil piorou depois que Donald Trump foi eleito em 2016. Um anti-establishment chegar ao poder foi demais para a mídia. Todo e qualquer tipo de acusação sem provas foi lançado contra ele e contra seus apoiadores. Apoia Trump? Você é racista. Não importa se no seu partido figuras como Ben Carson, John James e Tim Scott são importantes ícones do partido.

Nesse caso, a coisa é interessante. Os afro-americanos nunca tiveram tantos empregos como agora, visto que o desemprego entre eles está num mínimo histórico. Políticos negros estão concorrendo utilizando o discurso de Trump. Porém, a mídia americana e a brasileira bajula Barack Obama, Maxine Walters e Cory Booker – todos democratas. A desonestidade é a regra.

Dizer que o partido de Trump é o partido de Joseph McCarthy – com todo o simbolismo negativo que o controverso senador carrega – é querer colar na testa dos republicanos algo que seus rivais democratas são de melhor: mentirosos, histéricos e fantasiosos. Ou o episódio do pagamento a militantes democratas para trajarem-se de membros da KKK demonstrando apoio a Bush pai em 1991 foi esquecido?

O artigo que motiva este humilde registro trata de George Soros também. O apresenta como um vovô bondoso, filantropo, que cresceu por esforço próprio e doa parte da sua fortuna para causas justas, por isso motiva a ira dos republicanos. Soros é um bode expiatório, alguém que ficou muito rico e desperta a inveja porquê do dinheiro a movimentos bondosos.

O que não falaram é que George Soros foi presidente do Council on Foreign Relations – Conselho de Relações Exteriores, organização criada por bilionários nova-iorquinos com a intenção de ser uma antítese da Casa Branca e ajudar organismos internacionais a minar a soberania americana. Para qualquer dúvida basta ler os documentos da própria entidade e os seus objetivos.

A Nova Ordem é malvista por metade do eleitorado americano desde que ela foi colocada as claras do público. E é esse eleitorado que vota no Partido Republicano. É claro que a imprensa vai negar a existência de um projeto supranacional de poder, porque ela própria é um braço do tal projeto. A mídia independente é a voz dos conservadores americanos que não se escondem da verdade.

A verdade que a grande mídia e a esquerda juram defender foi banalizada por muito tempo. CNN, The New York Times e The Washington Post já fizeram inúmeras previsões erradas, matérias com fontes como Wikipedia – acredite se quiser – e tantas outras com fontes anônimas nunca reveladas. Sempre mentiram contra o Partido Republicano à vontade. Sempre pelos mesmos motivos.

A subida ao poder de políticos como Donald Trump, Rodrigo Duterte, Jair Bolsonaro e movimentos como o Brexit só podem ser explicados pelo total descolamento do establishment político, midiático e intelectual da realidade do povo. Fabricar acusações contra esses políticos não fará a população deixar de admirá-los. O choque de realidade da mídia só aumentará daqui em diante.

Fontes: [1] [2] [3] [4] [5]

Artigo do leitor Carlos Júnior no projeto Voluntários Renova

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da Renova Mídia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no vk

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.