Português   English   Español

Apoie o jornalismo independente!

Cidadãos da Venezuela fazem fila por carne estragada

Cidadãos da Venezuela fazem fila por carne estragada
Cidadãos da Venezuela fazem fila por carne estragada
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Maracaibo já foi símbolo da riqueza proporcionada pelo petróleo, mas seus moradores não conseguem mais refrigerar alimentos em razão dos apagões constantes que atingem região há 9 meses.


A cidade de Maracaibo já foi considerada a Arábia Saudita da Venezuela por sua ampla reserva de petróleo e pela riqueza proporcionada pela commodity.

A situação hoje em dia é bastante diferente.

Os moradores fazem fila para comprar carne estragada já que não é mais possível refrigerar alimentos em razão da falta de energia constante – realidade da região há mais de 9 meses e que tem piorado recentemente.

Algumas pessoas ficam doentes depois de comer carne podre, mas como elas são vendidas a preços baixos, em muitos casos essa tem sido a única maneira que muitos venezuelanos encontraram para ingerir proteína em um país cada vez mais afetado por uma severa crise econômica.

Nos últimos nove meses, os moradores de Maracaibo tem sofrido com os apagões constantes. E as coisas ficaram ainda pior depois que no dia 10 um incêndio destruiu a principal linha de energia que abastecia essa cidade de 1,5 milhão de pessoas.

As geladeiras se tornaram peças de decoração na maioria casas e as carnes passaram a estragar rapidamente. Pelo menos quatro açougues vendem carne apodrecida em Las Pulgas, o mercado central de Maracaibo.

 

Adaptado da fonte Estadão

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on reddit
Share on linkedin
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...