Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Cidade da China bane pessoas negras de hotéis e restaurantes

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Cidade da China bane pessoas negras de hotéis e restaurantes
Imagem: Reprodução/CNN

“Não posso comprar comida em lugar nenhum, nenhuma loja ou restaurante me serve”, diz estudante africano vivendo na China.

Muitos empresários, trabalhadores e estudantes de países da África estão sofrendo discriminação racial na cidade de Guangzhou, no sul da China, em meio à pandemia do novo coronavírus.

Apesar da vasta maioria dos casos de Covid-19 na cidade ser de chineses, muitos moradores estão culpando os africanos pela proliferação do vírus.

Nos últimos dias, o regime chinês começou a aplicar testes de coronavírus em pessoas negras de forma arbitrária e ordenou que restaurantes e outras empresas de serviços não os atendessem.

Muitos dos africanos que foram testados dizem que não estão recebendo nenhum resultado, portanto não têm ideia se são portadores ou não do coronavírus. 

Outros dizem que foram informados de que tiveram resultado negativo, mas ainda foram forçados a permanecer em isolamento domiciliar.

“Estou dormindo debaixo da ponte há quatro dias sem comer. Não posso comprar comida em lugar nenhum, nenhuma loja ou restaurante me serve. Somos como mendigos na rua”, disse Tony Mathias, um estudante de Uganda, à agência France-Presse.

“Em todos os lugares que a polícia nos vê, eles vêm e nos perseguem e nos mandam ir para casa. Mas para onde podemos ir?”, indagou um empresário da Nigéria à agência.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email