Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Cidade da Itália enfrenta severa escassez de caixões

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Cidade da Itália enfrenta severa escassez de caixões

“Dos 60 caixões pedidos, nos deram apenas 30. Estamos em colapso”, diz funcionário de funerária.

A província de Bergamo é a mais atingida pela nova variante de coronavírus na Itália, o país que mais sofre com os efeitos da pandemia.

A situação está tão crítica que a região tem convivido com a escassez de caixões por causa do alto número de mortos na emergência sanitária.

O funcionário de uma funerária da província contou ao jornal Eco di Bergamo que está trabalhando “de 12 a 14 horas por dia, sem parar nem mesmo para comer”.

“Não é fácil encontrar caixões. Nos últimos dias, encomendamos uma quantidade, mas a empresa veneziana não conseguiu entregá-los. Então fomos buscá-los com uma van. Dos 60 caixões pedidos, nos deram apenas 30. Estamos em colapso”, acrescentou.

Dias atrás, como noticiou a RENOVA, devido ao alto número de mortos em Bérgamo, veículos do Exército da Itália levaram cerca de 60 caixões para crematórios em outras cidades. 

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email