Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Cidade venezuelana cria sua própria moeda para driblar hiperinflação

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Cidade venezuelana cria sua própria moeda para driblar hiperinflação
Cidade venezuelana cria sua própria moeda para driblar hiperinflação

As notas paralelas podem ser compradas por bolívares — a moeda oficial da Venezuela que está cada vez mais desvalorizada — nos prédios da prefeitura de Elorza.

A cidade de Elorza, localizada no este do país, criou a sua própria moeda para enfrentar a severa crise econômica na Venezuela, onde existe um cenário de hiperinflação que impede os cidadãos de adquirir produtos básicos, como comida e medicamentos.

Segundo o jornal venezuelano El Nacional, o próprio presidente da Comissão de Finanças da Assembleia Nacional, José Guerra, admitiu nessa sexta-feira (16) que a crise no país ocasionou a criação dos chamados “mini bancos centrais” que emitem “moedas locais”.

Nas notas paralelas, está impresso o semblante do coronel Jose Andres Elorza, que teve um papel determinante na independência venezuelana. A moeda tem validade na cidade de Elorza, que fica perto da fronteira com a Colômbia.

Segundo o presidente da câmara local, o socialista Solfreddy Solorzano, as notas estão à venda nos prédios da prefeitura, para que possam ser adquiridas não só por moradores mas também por turistas.

Cédula de 100 mil Elorza

 

Com informações de: [Publico]

RENOVA Mídia precisa do seu apoio para continuar em funcionamento. Conheça nossa história e faça sua doação (boletou ou cartão) através da plataforma ApoiaSe. Clique AQUI e faça sua parte.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias