Cientistas localizam oxigênio em ponto mais distante no Universo

A nova descoberta do telescópio Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (Alma) foi divulgada nesta quarta-feira (16).

O equipamento, que fica baseado no deserto do Atacama, observou oxigênio no ponto mais distante do Universo identificado até o momento.

O Alma registrou traços da molécula em uma galáxia que fica a 13,28 bilhões de anos-luz da Terra.

De acordo com informações do jornal O Globo:

O achado é importante, porque pode trazer novas respostas sobre a formação do Universo.

Após o Big Bang, as primeiras gerações de estrelas alteraram a composição química das galáxias, enriquecendo o meio interestelar com elementos como oxigênio, carbono e nitrogênio. Assim, identificar esses elementos no espaço pode ajudar a explicar a evolução química das galáxias.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *