Ciro Gomes defende liberdade de Lula

Após ser rejeitado pelos partidos do “centrão”, Ciro Gomes voltou a acenar para os partidos de esquerda.

Em evento com sindicalistas na capital brasileira, o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, mandou um recado ao “centrão”, com quem vinha negociando e, aparentemente, na tarde desta quinta-feira (19) decidiu fechar com o tucano Geraldo Alckmin.

“Quem quiser me ajudar, seja bem-vindo. Mas saibam, quem quer que me ouça lá fora, que este governo que eu liderar servirá aos mais pobres e aos trabalhadores”, discursou o pedetista para uma plateia de membros de seis centrais sindicais, segundo o Valor Econômico.

Depois do fracasso da negociação com DEM e outros partidos do centro, Ciro voltou a tentar atrair o apoio dos partidos esquerdistas ao defender a soltura de Lula –e atacando Judiciário e Ministério Público.

‘O Brasil nunca será um país em paz enquanto o companheiro Luiz Inácio Lula da Silva não restaurar a sua liberdade’, declarou.

O presidenciável também aproveitou para criticar o embate de decisões sobre a soltura ou não de Lula iniciada por um desembargador plantonista do TRF-4.

Segundo informações do jornal O Globo, Ciro declarou:

(Todo dia tem) procurador fazendo crítica, juiz fazendo política, invadindo as atribuições uns aos outros dos poderes. Aquele domingo foi uma das coisas que eu mais assustado assisti como um velho professor de direito. Como è que pode tanta aberração lidando com coisas graves como a liberdade do maior líder popular do país ou o próprio direito, regra de convivência que substitui a lei do mais forte, a prepotência da violência e o caos.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia