Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Cofundador do Skype preocupado com riscos da inteligência artificial

Cofundador do Skype preocupado com riscos da inteligência artificial
COMPARTILHE

Empresário é financiador de várias iniciativas que tentam alertar sobre a inteligência artificial.

Jaan Tallinn, programador da Estônia responsável pelo desenvolvimento do Skype, é uma das principais vozes do mundo alertando para os riscos da inteligência artificial

Tallin foi um dos pioneiros da tecnologia de compartilhamento de arquivos peer-to-peer. Inicialmente, ele fundou o icônico Kazaa, cuja tecnologia serviu de base para criação do Skype, onde ele foi cofundador e uma das primeiras contratações da área de engenharia. 

O estoniano então pegou o dinheiro que ganhou no Skype e se tornou um investidor de destaque em outras startups de tecnologia na Europa. Estimativas da revista Fortune apontam para uma fortuna de mais de US$ 900 milhões

Assim como aconteceu com o bilionário norte-americano Elon Musk, foi a experiência de Tallinn como um dos primeiros investidores na empresa DeepMind, agora parte da Alphabet, dona do Google, que despertou suas preocupações sobre o potencial de que a inteligência artificial pode vir a destruir a raça humana algum dia. 

Tallinn é cofundador do “Centro para o Estudo de Risco Existencial” da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.  

Ele também é um doador proeminente do “Instituto Futuro da Humanidade”, um think tank da Universidade de Oxford dedicado ao risco existencial alertado pelo filósofo Nick Bostrom, cujas visões sobre os perigos potenciais das máquinas superinteligentes também influenciaram Musk, outro dos financiadores do instituto. 

Tallinn também doou dinheiro para o “Machine Intelligence Research Institute”, uma organização de Berkeley, na Califórnia, dedicada a garantir que a “inteligência artificial tenha um impacto positivo”. 

E, novamente como Musk, ele foi um dos primeiros a apoiar o “OpenAI”, uma empresa de pesquisa de São Francisco, nos Estados Unidos, inicialmente estabelecida como uma espécie de contrapeso ao Google e à DeepMind. 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
3 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Fabio Luis Rodrigues
Fabio Luis Rodrigues
12 dias atrás

Trabalho com TI a mais de 20 anos e lhe digo que não precisamos temer a IA, mas sim quem estiver por traz dela.
O detentor da IA de maior tecnologia com certeza será um bilionário não bem intencionado.

Andre
Andre
12 dias atrás

Lá vem essa galera com medo da raça humana acabar kkkkkkkk pqp.

Fabio Luis Rodrigues
Fabio Luis Rodrigues
Responder  Andre
12 dias atrás

O problema não é a IA, mas o detentor da tecnologia. Este vai dominar o mundo.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE