Português   English   Español

COLUNA: Greenwald é o símbolo da verdadeira esquerda

COLUNA: Greenwald é o símbolo da verdadeira esquerda

Resumão da Vaza Jato #2: Greenwald é o símbolo da verdadeira esquerda: a mentirosa e marginal

Dando continuidade ao resumo do que vi da Vaza Jato, a figura de Glenn Greenwald chama a atenção nessa história – pelos piores motivos possíveis. O jornalista do The Intercept foi protagonista nos vazamentos das mensagens atribuídas ao ministro Sérgio Moro e fez inúmeras acusações e ameaças, garantindo que viria mais por aí.

Até agora nada colocou Moro em situação delicada, e o fiasco da esquerda em enquadrar Moro é notório já pelo aumento de sua popularidade. Muita fumaça para fogo nenhum. Mas Greenwald continua a arrogar uma credibilidade que ninguém lhe deu.

O fato de usar informação ilegal e não revelar de quem veio é a prova número um de que Greenwald não tem boas intenções. Ele deveria saber mais do que ninguém sobre a ilegalidade das supostas mensagens vazadas – uma vez que até agora não se tem a certeza da veracidade do material publicado.

A partir das mensagens, Greenwald tirou uma série de conclusões típicas de um vigarista. Disse, por exemplo, que conluio entre Moro e procuradores prejudicou o ex-presidente e então pré-candidato Lula na eleição presidencial em 2018. Ele se refere a condenação de Lula feita por Moro, mas esquece que a decisão foi confirmada por instâncias superiores.

O desprezo pela Constituição brasileira, pela verdade e pelo povo brasileiro não poderia ser maior. É simbólico que Gilmar Mendes tenha proibido qualquer investigação contra o dito cujo. O mais criticado dos ministros do Supremo Tribunal Federal fez bem. Associou seu nome a alguém que é sua imagem e semelhança.

E claro, a esquerda brasileira saiu em defesa intransigente a Greenwald. Não causa a menor surpresa. Ela sempre quis fritar Moro de qualquer forma, por este simplesmente ter cumprido seu papel de juiz e condenado um criminoso por ela idolatrado.

Por tudo isso, Greenwald é o símbolo da única esquerda possível: a mentirosa e marginal, que não conhece padrões morais para implementar sua agenda e fritar seus inimigos.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no vk

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.