Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Como pneus de aviões suportam tantas toneladas

REDAÇÃO RENOVA Mídia

REDAÇÃO RENOVA Mídia

Como pneus de aviões suportam tantas toneladas
COMPARTILHE

Mesmo quem está acostumado a voar, às vezes menospreza, esquece ou dá pouca atenção aos pneus das aeronaves.

Os pneus aeronáuticos são itens primordiais para garantir a segurança dos passageiros e a integridade das aeronaves. 

Estes pedaços de borracha sustentam as dezenas de toneladas de um avião, absorvem grande parte do impacto na hora do pouso, rodam a mais de 300 quilômetros por hora durante a decolagem e ainda suportam variações de temperatura extremas. 

Para se ter uma ideia da oscilação de temperatura, durante o voo o pneu pode chegar a menos 60 graus centígrados, enquanto o atrito com a pista esquenta a borracha acima dos 80 graus.

Ao contrário dos pneus dos carros, que são feitos de borracha sintética, os pneus dos aviões são fabricados com borracha natural, extraída de seringueiras.

Por dentro, a estrutura do pneu do avião é composta por diversas camadas de lona. As bandas de rodagem, o lado externo, incorpora outras camadas de reforço bastante resistentes.

Os pneus das aeronaves são monitorados por sensores em tempo real e ainda contam com um artefato de segurança bastante instalado na roda: o fusível térmico.

Este fusível entra em ação se a temperatura da borracha ultrapassar os 150 graus.

A carcaça de um pneu de aviação tem estrutura própria para diversas recauchutagens. A vantagem é que um pneu reformado custa cerca de 35% do valor de um novo. 

Atualmente, em todo o mundo, cerca de 80% dos pneus presentes nas aeronaves são recauchutados e isso, de forma alguma, pode significar menos segurança, destaca o site Olhar Digital.

- PUBLICIDADE -
Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM
Error: Embedded data could not be displayed.