Consultoria da Holanda estuda participação privada em hidrovias no Brasil

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A primeira reunião entre as equipes do governo e da consultoria aconteceu na semana passada.

A consultoria Royal Haskonings, da Holanda, iniciou os estudos para avaliação de potencialidade de participação privada para manutenção e operação das hidrovias do Tapajós e do Madeira

A medida faz parte de um memorando de entendimento assinado entre o Ministério da Infraestrutura do governo Jair Bolsonaro e o Banco Mundial.

O acordo de colaboração prevê a realização de avaliações técnicas, visando melhorar a eficiência da logística de exportação e do desenvolvimento regional do Arco Norte, principalmente nos estados do Tocantins, Amazonas e Pará.

Em 2019, mais de 40 milhões de toneladas foram transportadas em todas as hidrovias do Brasil.

Apenas no Rio Tapajós, foram 10,9 milhões de toneladas (27%) e no Rio Madeira, 9 milhões de toneladas (22,4%), ou seja, quase 50% do volume total movimentado pelo país. 

“Daí a importância de um processo de parcerias público-privadas (PPPs) na região”, destaca o Ministério da Infraestrutura em nota à imprensa.

O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários do MInfra, Diogo Piloni, avaliou:

“O Brasil tem um potencial significativo para o transporte hidroviário interior. Entretanto, esse potencial não é totalmente utilizado, entre outros fatores, pelo baixo índice de investimentos.” 

E completou:

“Nossa ideia é aumentar a participação privada nesse setor, com o intuito de desbloquear esse potencial.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.