Português   English   Español

Coreia do Sul condena líder de seita por estupro de 8 fiéis

O líder de uma seita da Coreia do Sul foi condenado nesta quinta-feira (22) a 15 anos de prisão acusado de estuprar oito mulheres.

As vítimas do pastor Lee Jaerock “eram incapazes de opor resistência, pois estavam submetidas à autoridade religiosa absoluta do acusado”, afirmou um Tribunal em Seul.

A devoção religiosa é muito intensa na Coreia do Sul, onde 44% dos habitantes se declaram fiéis. A maioria dos fiéis está vinculada a Igrejas reconhecidas, com frequência ricas e poderosas.

No entanto, o país também possui muitas igrejas à margem, algumas delas envolvidas em casos de fraude, coação, “lavagem cerebral”, manipulação dos frequentadores e outras práticas sectárias.

Lee Jaerock fundou a igreja de Manmin, de inspiração protestante, em Guro, bairro de Seul, em 1982.

A congregação afirma ter 130.000 fiéis atualmente, conta com uma grande sede, um auditório luxuoso e o site destaca o grande número de milagres em seu templo.

Oito mulheres denunciaram o pastor e o tribunal o declarou culpado por dezenas de estupros durante um longo período.

O advogado do pastor acusou as denunciantes de mentir como forma de vingança depois que foram expulsas por terem violado as regras da igreja.

 

Adaptado da fonte AFP

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter