Coronavírus faz comércio no Japão proibir entrada de chineses

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Japão deve sentir impacto no turismo pela redução no número de turistas chineses.

A intensa venda de máscaras cirúrgicas no Japão evidencia a preocupação popular com a nova variante de coronavírus que assola a China

Não há vacina para o novo tipo de vírus que provoca pneumonia e sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar. 26 mortes foram confirmadas, mais de 800 pessoas estão infectadas.

Com o crescente número de casos, os asiáticos passaram a adotar ainda mais o costume de utilizar máscaras para cobrir boca e nariz. 

A maior fabricante japonesa de máscaras cirúrgicas, a Unicharm, está trabalhando 24 horas por dia para atender a demanda. 

O medo de ocorrer surto do coronavírus no Japão levou o dono de uma confeitaria em Hakone, cidade da província de Kanagawa, a afixar um cartaz escrito em mandarim com o aviso: “Proibida a entrada de chineses. Não quero que espalhem o vírus”.

O proprietário recebeu muitas críticas da comunidade chinesa após a exposição do caso em redes sociais. O episódio foi visto como xenófobo por críticos, informa a emissora BBC.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.