Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Coronavírus pode acelerar o fim dos casacos de pele

Coronavírus pode acelerar o fim dos casacos de pele
COMPARTILHE

O governo dinamarquês prometeu compensar os agricultores pela matança de vison.

A cooperativa Kopenhagen Fur vende peles produzidas por 1,5 mil agricultores da Dinamarca, que fazem parte de uma indústria responsável por boa parte das exportações do país. 

A cooperativa anunciou dias atrás que vai fechar suas portas nos próximos dois a três anos por causa dos esforços drásticos do governo dinamarquês para conter um surto de coronavírus

As autoridades do governo anunciaram planos na semana passada para abater todos os 15 milhões de visons cultivados na Dinamarca depois que uma nova mutação da Covid-19 emergiu entre as criaturas. 

“O movimento colocou os produtores de peles em uma situação extrema e incomumente difícil”, afirmou acordo com o CEO da Kopenhagen Fur, Jesper Lauge, segundo o jornal NY Post

“Infelizmente, mesmo a comunidade mais forte não pode sobreviver às consequências das decisões que foram tomadas”, disse Lauge, acrescentando que informou aos mais de 300 funcionários da empresa sobre a decisão de encerrar o negócio. 

As consequências do abate massivo de visons para o resto da indústria dinamarquesa de peles não estão claras. 

As fazendas de visons empregam cerca de 6 mil pessoas. O governo prometeu compensar os agricultores pela matança. 

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
1 Comentário
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
CLLS
CLLS
7 dias atrás

Uma indústria medieval, sustentada pelo sofrimento dos animais e pela vaidade de madames vazias e fúteis. já deveria ter sido abolida há anos atrás.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE