CPI da Pandemia aprova quebra de sigilo bancário da RenovaMídia

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Liberdade de imprensa no Brasil está em risco em meio ao ataque inédito.

A CPI da Pandemia aprovou, nesta terça-feira (3), a quebra de sigilo bancário do webdesigner do portal RenovaMídia.

O requerimento, que foi apresentado pelos senadores Renan Calheiros (MDB), relator da comissão, e Humberto Costa (PT), acusa este portal de disseminar “fake news“.

No entanto, o texto — que pode ser conferido na íntegra aqui — não aponta nenhum exemplo de notícia falsa propagada pela Renova.

De acordo com um trecho do requerimento:

“Ademais, cumpre esclarecer que os requeridos levantamento e transferência de dados, referem-se especificamente ao sigilo bancário, desde o início de 2018 até o presente, de todas as contas de depósitos, contas de poupança, contas de investimento e outros bens, direitos e valores mantidos em Instituições Financeiras.”

Além da Renova, a CPI aprovou a quebra de sigilo bancário de outros portais: Terça Livre, Crítica Nacional, Conexão Política, Brasil Paralelo e Senso Incomum.

Na manhã desta segunda-feira (2), o portal RenovaMídia divulgou um comunicado oficial afirmou que o requerimento “trata-se de uma acusação genérica que tem dois objetivos claros: intimidar um jornal independente e cercear a liberdade de imprensa no Brasil“.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.