Cracolândia de Paris se alastra no coração de bairro “hipster”

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

A epidemia do crack em Paris, capital da França, parece longe de ser solucionada, principalmente após a entrada no país de milhões de imigrantes ilegais.


O jardineiro de um restaurante, que fica bem em frente ao local de consumo conhecido como “Cracolândia de Paris”, declarou:

Recolho entre sete e dez seringas cada vez que rego as plantas. A prefeitura deveria dar um jeito nessa situação, mas o problema é tão grande que eles nem devem saber mais o que fazer.

O que ele descreve é visível a todos os transeuntes: peças de roupa misturam-se aos lixos espalhados pelo chão, às fezes humanas e a um odor forte.

Perto da “Cracolândia” há dois cinemas, vários bares e o parque Buttes-Chaumont, “point” da juventude parisiense nos fins-de-semana, se encontra a algumas quadras de distância, deixando a impressão de uma esquizofrenia geográfica. De um lado, a vivacidade de um bairro que Paris começa a redescobrir e a reocupar. Do outro, uma população vítima do vício que vaga pelas redondezas à procura da próxima dose.

Um morador do bairro afirma:

Antes, a atividade dos traficantes e dos consumidores era muito discreta, escondida atrás dos muros, e geralmente à noite. Mas nos últimos meses eles não se escondem mais e até durante o dia vemos gente vendendo e usando drogas em uma das pontes do canal. É impressionante ver gente fumando crack sem nenhum pudor enquanto as pessoas fazem caminhada ou empurram seus carrinhos de bebê na mesma calçada.

 

Adaptado da fonte RFI

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

Veja também...