Crânio deformado de 9,9 mil anos encontrado em caverna no México

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A mulher é um dos primeiros habitantes conhecidos do que é atualmente o México.

Exploradores de cavernas encontraram o misterioso túmulo subaquático de uma mulher, que vivia na península de Yucatán há pelo menos 9,9 mil anos.

A cabeça da mulher apresenta três lesões distintas, indicando que algo a atingiu com força, quebrando os ossos do crânio. 

O crânio também estava cheio de deformações semelhantes a crateras, lesões que se parecem com aquelas causadas por um parente bacteriano da sífilis.

Wolfgang Stinnesbeck, professor do Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, declarou:

“Parece realmente que essa mulher teve um momento muito difícil e um final extremamente infeliz de sua vida.”

Segundo a emissora Fox News, Stinnesbeck acrescentou:

“Obviamente, isso é especulativo, mas dados os traumas e as deformações patológicas em seu crânio, parece provável que ela tenha sido expulsa de seu grupo e morta na caverna ou deixada na caverna para morrer lá.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.