Português   English   Español

82% dos criminosos presos por estupro coletivo na Suécia são imigrantes

A nação sueca enfrenta uma elevação sem precedentes no número de crimes, principalmente agressões sexuais.

O jornal sueco Friatider afirma que milhares de dados jurídicos sobre crimes foram vazados para o grupo radical de direita Nordfront, que em parceria com o projeto “Gang Rape Sweden” decidiriam tornar as informações públicas.

Foram publicados documentos de 168 mil sentenças entre 10 de maio de 2004 e 8 de janeiro de 2014, incluindo os seguintes dados: data da sentença, nome do criminoso, número da identidade, tamanho da pena, tipo e local do crime, além da origem do indivíduo.

O jornalista independente Peter Imanuelsen analisou as informações e encontrou conclusões que comprovam o que as mídias indepentens já avisavam há muito tempo.

De 2004 até 2014:

  1. 45% dos criminosos enviados à prisão eram estrangeiros.
  2. 82% dos criminosos presos por estupro coletivo foram estrangeiros.
  3. 70% dos criminosos com sentenças acima dos 9 anos de prisão eram estrangeiros.

Questionado sobre a veracidade das informações, Peter foi incisivo:

Estou certo de que são legítimas. Leia o artigo do Friatider. Sabendo que eles estão sendo processados por publicar esta informação, isso deve significar que está correta.

Um veículo da grande mídia da Suécia escreveu uma matéria classificando este vazamento de informações como um dos maiores crimes cibernéticos da história do país.

É por conta de notícias como essa que o governo sueco tenta implementar medidas para censurar as mídias independentes e impedir que dados desse tipo sejam divulgados.

Semanas atrás, você também viu por aqui números que comprovam o crescimento vertiginoso da violência na Suécia após anos da política globalista de fronteiras abertas e imigração indiscriminada.

Deixe seu comentário

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter