Crise faz população da Venezuela recorrer a enterros caseiros

Idiomas:

Português   English   Español
Crise faz população da Venezuela recorrer a enterros caseiros
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Em meio à violência e escassez de remédios que deixam cerca de 150 mil mortos ao ano, muitos já não conseguem pagar funerais.

Afetada por uma crise generalizada que elevou os índices de desnutrição e mortalidade infantil, a Venezuela agora enfrenta a tragédia dos que não conseguem pagar pelo enterro de seus parentes, muitos deles vítimas da falta de medicamentos e atenção de saúde básica.

Após buscar, em vão, ajuda estatal, a família de Ender Bracho abriu um buraco para sepultá-lo no quintal, na cidade petrolífera de Maracaibo. Fazia mais de 24 horas que ele tinha morrido por infecção generalizada que, segundo alegam seus parentes, foi desencadeada por falta de antibióticos.

Antes de morrer, o pedreiro de 39 anos já parecia um cadáver, com as costelas marcadas e o rosto afundado. “Onde está o governo para ajudar os pobres? O que eles estão fazendo é nos destruir!”, lamentava Milagros, sobrinha de Bracho.

“Cerca de 90% das pessoas vem buscando o enterro mais econômico. Quando chegam aqui, já gastaram os poucos recursos com tratamentos”, diz Luis Mora, da Associação de Empresas Funerárias.

 

Adaptado da fonte Estadão

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

Veja também...