Crise na Venezuela estimula tráfico de armas na fronteira com Roraima

Um dos esquemas utilizados por bandidos é o sequestro relâmpago de donos de carros de luxo para que os veículos sejam trocados por armas no território da Venezuela.

Facções criminosas brasileiras estão aproveitando o intenso fluxo migratório entre Venezuela e Brasil e as falhas na fiscalização da fronteira de Roraima com o país vizinho para ampliar as transações de tráfico de armas e drogas entre os dois países.

Um dos esquemas usados pelos bandidos de Roraima para consolidar essa rota é o sequestro relâmpago de donos de carros de luxo para que os veículos sejam trocados por armas em território venezuelano.

De acordo com informações da EXAME:

Áudios interceptados pela Polícia Civil do Estado e obtidos com exclusividade pela reportagem mostram um integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), de Roraima, dando orientação para demais membros da facção. “A parada é a seguinte, mano, tô vendo um negócio da hora para nós pegar os carros, não garante, não? Tem de segurar a vítima até atravessar a fronteira, tá ligado? Para nós trocar em skunk (maconha) e arma”, diz o suspeito. Houve dois casos em 40 dias.

Segundo dados da Polícia Civil, o número de armas apreendidas pelo órgão no ano passado mais do que dobrou em relação ao ano anterior, passando de 69 para 176. O aumento do tráfico de armas pela fronteira Brasil-Venezuela e o fortalecimento do crime organizado no Estado são apontados pelas forças de segurança locais como a principal razão para a alta dos índices de criminalidade.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *