Em meio à crise de segurança, prefeito de Londres preocupado com WikiPedia

Sadiq Khan, prefeito de Londres, parece ter preocupações mais importantes do que a crise de segurança que assola a capital inglesa.

Segundo a polícia londrina, cerca de 1.300 pessoas já foram esfaqueadas apenas este ano em Londres, sendo 46 delas vítimas fatais.

Com números que já ultrapassam os níveis de violência de Nova Iorque há pelo menos dois meses, a Metropolitan Police e o prefeito se recusam a tomar atitudes mais severas e se rendem ao medo de ficarem mal vistos pelo público.

Por meio de atitudes como um “estatuto do desfaqueamento” e da proibição de buscas ostensivas em possíveis suspeitos, a polícia que já foi considerada a melhor do mundo deixa a cidade nas mãos daqueles que chegam para aterrorizar.

Enquanto a população fica refém da violência, o prefeito da cidade prefere usar as redes sociais para falar de temas que são, aparentemente, mais importantes do que a taxa de violência da cidade.

O último grande comunicado de Sadiq Khan via Twitter foi em relação à discrepância entre biografias de homens e mulheres no Wikipedia.

O que pareceria absurdo em qualquer outro lugar do mundo, é simplesmente ignorado pela grande mídia, que faz de tudo para exaltar a gestão do primeiro prefeito muçulmano de Londres.

Melhor do que assumir que errou por ter apoiado a pessoa errada, por que não ignorar recordes de violência na cidade para fazer valer a narrativa?

É assim que Sadiq continua bem visto nas capas dos jornais, provando que, para a mídia, não importa o que é feito, mas sim quem está fazendo.

João Guilherme
João Guilherme
Estudante e interessado em política, história e religião.