Português   English   Español

Cristão morto no Egito por tatuagem de cruz no pulso

Terroristas islâmicos continuam matando coptas em território egípcio. A minoria cristã do Egito é frequentemente alvo de atentados e atos de perseguição religiosa.

Um cristão foi assassinado na península do Sinai, no sábado passado (13/01), apos jihadistas detectarem uma tatuagem de uma cruz no seu pulso.

Bassem Herz Attalhah estava acompanhado pelo seu irmão, Osama, que conseguiu escapar com vida.

Os irmãos Attalhah estavam voltando do trabalho, juntamente com um colega muçulmano, quando foram abordados por três homens vestidos de preto.

“Pensávamos que eram policias, porque não usavam máscaras”, explicou Osama.

Mas quando os homens se aproximaram, pediram a Bassem que lhes mostrasse o pulso, onde estava tatuada uma pequena cruz. Os cristãos coptas do Egito têm o hábito de tatuar cruzes no pulso ou na mão quando chegam à adolescência.

Segundo Osama, os jihadistas perguntaram “Você é cristão?”, ao que Bassem respondeu que sim.

Logo em seguida, os terroristas pediram ao amigo dos dois irmãos que dissesse o seu nome e mostrasse o pulso. Perante o nome, Mohamed, e a ausência de tatuagem, deixaram ele ir.

Sem saber que Osama era irmão de Bassem, pediram-lhe também o nome. Osama é um nome comum entre muçulmanos, o que não levantou suspeita, mas ainda assim pediram para ver o seu pulso, sem reparar que ele tinha uma cruz tatuada, mas do outro lado da mão e mais acima, escondida pela manga da camisa.

Enquanto Osama saía do local, viu os terroristas executarem seu irmão com um tiro na cabeça.

“Não podia acreditar no que estava acontecendo com meu irmão. Caiu ao chão na minha frente, não pude fazer nada”, disse Osama.

 

Com informações de: [Renascença]

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter