Cristãos são flagelados na Indonésia por participar de jogo infantil

Idiomas:

Português   English   Español
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Casal de cristãos foi açoitado em um tablado, em via pública, com a presença de cidadãos e turistas. Segundo o prefeito, o objetivo da punição é inibir a violação da lei islâmica.


De acordo com informações da UOL:

Aceh é a única província indonésia que adota a lei da sharia e onde as pessoas podem ser punidas com açoites por uma série de ofensas – de jogatina e beber álcool a fazer sexo gay ou ter relações fora do casamento.

Na terça-feira, Dahlan Silitonga, 61, e Tjia Nyuk Hwa, 45, foram açoitados seis e sete vezes, respectivamente, depois de terem sido presos por brincar com um jogo infantil que permite aos jogadores trocarem moedas por prêmios ou cupons.

O prefeito da cidade, Aminullah Usman, declarou:

É preciso criar um efeito inibidor, para que as pessoas não repitam violações da lei da sharia islâmica. Nós propositadamente fazemos isso em público, para que não ocorra de novo.

Segundo informações da Gazeta do Povo:

Os dois cristãos estão entre um punhado de não muçulmanos que estão sujeitos à lei religiosa de Aceh, uma vez que foi firmado um acordo em 2001 para tentar evitar insurgências. Em janeiro, um cristão indonésio foi flagelado por vender álcool na província na ponta da ilha de Sumatra. Também, no começo deste ano, um grupo de mulheres transgênero sofreram retaliações da polícia local.

Cerca de 98% dos cinco milhões de habitantes de Aceh são muçulmanos sujeitos à lei religiosa. Os não muçulmanos que cometerem uma infração contra as leis nacionais e religiosas podem escolher a flagelação para evitar um processo judicial ou ir para a cadeia.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...