Cristãos mortos tentando parar conversão forçada de garotas ao Islã

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Pelo menos 12 cristãos foram mortos e outros 20 ficaram feridos em Kasuwan Magani, no norte da Nigéria, após tentarem resgatar meninas que foram sequestradas e estavam sendo forçadas a se converter ao islamismo.

Jihadistas perseguiram os cristãos e queimaram suas casas após uma tentativa frustrada de resgate há duas semanas. Entre as vítimas também estão membros de diversas igrejas locais: pentecostal, batista, Assembleia de Deus e Adventista.

James Madaki, da Igreja Evangélica Winning All, explicou:

Os nomes dos mortos não serão divulgados no momento, mas posso confirmar que todos são cristãos que viviam na área cristã da cidade. O sequestro foi relatado à polícia, mas as autoridades não fizeram buscas pelas meninas, então alguns cristãos decidiram resgatá-las, mas os muçulmanos da cidade reagiram e os mataram.

Ele aponta que o ataque não foi somente contra quem tentava libertar as meninas. Eles saíram atirando em todos os cristãos que encontravam pelas ruas e queimaram as casas deles. O conflito religioso na Nigéria assume contornos cada vez mais dramáticos

O pastor John Hayap, porta-voz da Associação Cristã do Norte da Nigéria, disse que o governo não age quando há denúncias dessas conversões forçadas:

Eu fico muito triste com essa violência contra nós, cristãos. O que podemos fazer é orar e pedir a intervenção de Deus. Continuaremos a pregar paz e tolerância em nossas igrejas, não importa o tamanho da provocação dos muçulmanos.

Após o massacre, policiais e soldados do exército foram enviados para a área na tentativa de restaurar a paz e evitar mais mortes.

 

Com informações de: [GospelPrime]

 

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.