Português   English   Español

80 cristãos da Nigéria mortos por radicais islâmicos este mês

Mais de 80 cristãos nigerianos foram mortos por radicais islâmicos apenas neste primeiro mês de 2018.

Os ataques fazem parte da nova investida dos membros da etnia Fulani contra a minoria cristã da Nigéria.

Os Fulani são, em sua maioria, criadores de gado membros da religião islâmica. Enquanto o governo nigeriano vem fazendo vistas grossas para os crimes cometidos por esta etnia, fatores socioeconômicos e religiosos estão contribuindo ainda mais para inflamar a perseguição contra cristãos no país.

De acordo com informações do Gospel Prime:

Os sobreviventes descrevem que as mortes foram brutais, classificando a violência como “desumana” e contando que a maioria dos agressores usavam facões, cortando as pessoas “como animais”.

A ONG International Christian Concern, que apoia cristãos perseguidos, divulgou um relatório mostrando que foram pelo menos 50 mortes em Logo e outras 30 na cidade de Guma.

Vershima, um cristão que sobreviveu a um dos ataques, explica que os islâmicos armaram uma emboscada, cercando os moradores da aldeia e atirando a sangue frio. Outro sobrevivente, chamado Peter, está no hospital tratando seus graves ferimentos. Ele testemunha: “Eu os vi se aproximando e tentei lutar contra um que tinha um grande facão nas mãos. Eu caí e eles começaram a me cortar”.

O pastor Musa Asake, Secretário Geral da Associação Cristã da Nigéria, veio à público falar sobre sua “grave preocupação” com a aumento dos ataques contra os fiéis do país, principalmente nas mãos de grupos terroristas, como o Boko Haram.

Deixe seu comentário...

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter