- PUBLICIDADE -

Cristina diz ser inocente e questiona uso de delações na Argentina

- PUBLICIDADE -

A ex-presidente e senadora da Argentina Cristina Kirchner afirmou nesta sexta-feira (17) que nunca recebeu dinheiro em troca de aprovar medidas enquanto estava no governo.

Ela também atribuiu os atuais problemas com a Justiça ao fato de ter atrapalhado os interesses de grupos econômicos poderosos do país.

Em uma carta publicada no Facebook, Cristina Kichner, alvo de cinco processos de corrupção, referiu-se à investigação, conhecida como o Escândalo dos Cadernos. A ex-presidente foi acusada de ter recebido propinas milionárias de empresários em troca de beneficiá-los em contratos de obras públicas.

Cristina escreveu:

Os problemas judiciais que tenho são por ter afetado os interesses econômicos concentrados e hegemônicos muito poderosos que sempre tentaram obstruir as medidas que levei adiante em benefício das grandes maiorias populares, da atividade econômica em geral e do fim do endividamento estrutural da Nação.

O mais novo escândalo que abala a Argentina já provocou a prisão de vários empresários e ex-funcionários do governo.

O caso ficou conhecido como Escândalo dos Cadernos por ter sido revelado por um motorista do Ministério do Planejamento que anotava em cadernetas as viagens que fazia para entregar as propinas recebidas no esquema.

Entre os que teriam recebido dinheiro dos empresários, segundo o motorista, estão Cristina e seu falecido marido, Néstor Kirchner.

 

Com informações da EBC
PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -