Cuba nega ‘repressão’ contra protestos pró-democracia

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Cuba disse aos EUA que as “sanções são irrelevantes”.

A ditadura de Cuba classificou como “caluniosas” as sanções anunciadas, nesta quinta-feira (22), pelos Estados Unidos.

Havana negou qualquer “ato de repressão contra o povo” durante os protestos pró-democracia do último dia 11.

Em entrevista coletiva, o chanceler cubano Bruno Rodríguez afirmou:

“As sanções são irrelevantes, porque me consta que esse ministro não possui contas em bancos americanos e nunca me disse que estava interessado em fazer turismo em Miami, mas são relevantes a partir da implicação política agressiva.”

Como noticiou a Renova, o governo americano impôs sanções ao ministro da Defesa cubano Álvaro López Miera e a uma unidade antimotins pela repressão às manifestações populares recentes na ilha. 

Rodríguez acrescentou que não houve em Cuba “um ato de repressão contra o povo, como não houve nenhuma explosão social“.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.