Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Luciano Hang alega perseguição de procuradores de viés esquerdista

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Luciano Hang alega perseguição de procuradores de viés esquerdista
COMPARTILHE

O Ministério Público do Trabalho ajuizou ação civil pública contra o empresário Luciano Hang com pedido de indenização de R$ 100 milhões por “danos morais coletivos”.

O dono da Havan está sendo acusado de coagir seus funcionários a votar no então candidato Jair Bolsonaro.

Para se defender, segundo O Antagonista, o empresário alega perseguição política e anexa um parecer elaborado pelo perito em crimes digitais Wanderson Castilho.

O documento mostra que cinco dos sete responsáveis pelo ajuizamento da ação possuem algum grau de militância virtual a favor da “agenda esquerdista”.

Uma das procuradoras é signatária de um “manifesto contra o golpe”, que circulou durante o impeachment de Dilma Rousseff.

A defesa de Luciano Hang concluiu:

Foram localizados indícios de atividade político-partidária em alguns dos perfis em redes sociais de procuradores do Ministério Público do Trabalho de Santa Catarina (MPT-SC) que acusam a REDE HAVAN de ter supostamente intimidado funcionários a votar no candidato à presidência de direita, Jair Bolsonaro.

Cinco dos sete responsáveis pelo ajuizamento da ação civil pública que busca condenar a REDE HAVAN figuram publicamente como apoiadores em menor ou maior grau de pontos capitais da agenda esquerdista, sendo por meio de curtidas, replicações, menções e/ou aparições, conforme exposto anteriormente.

Além desta constatação, o perfil de FACEBOOK oficial do próprio MPT-SC, localizado na URL https://www.facebook.com/mptsantacatarina/ faz aparições de caráter duvidoso, veiculando de forma incessante, em extravagante ritmo de jornalismo partidário, as manchetes relacionadas à ação em comento, qual fosse peça de exibição a alavancar mais audiência popular para a referida página.

Você pode conferir a íntegra do documento AQUI.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram