Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Delação de Odebrecht sobre Toffoli some dos autos da Lava Jato

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Delação de Odebrecht sobre Toffoli some dos autos da Lava Jato
COMPARTILHE

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou que a revista Crusoé retire “imediatamente” do ar a reportagem intitulada “O amigo do amigo de meu pai”.

A assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que a decisão do ministro Alexandre de Moraes não se trata de censura, mas sim de responsabilização pela publicação de material supostamente criminoso e ilegal.

Conforme o tribunal, Moraes se baseou em nota da Procuradoria Geral da República (PGR), que afirmou não ter recebido qualquer informação do Paraná, ao contrário do que disse a reportagem publicada pela Crusoé.

Como noticiou a RENOVA, a PGR informou, na última sexta-feira (12), que não recebeu informações supostamente repassadas por Marcelo Odebrecht, em delação à PF, apontando o suposto codinome do presidente do STF, Dias Toffoli, nas planilhas de propina da empreiteira.

Segundo o G1, o documento de fato foi anexado aos autos da Operação Lava Jato, no dia 9 de abril, e seu conteúdo é o que a revista descreve.

O documento, porém, não chegou à Procuradoria Geral da República. Nesta segunda-feira (15), verificou-se que o documento não mais consta do autos.

No dia 12 de abril, um dia após a publicação da reportagem, o juiz da 13ª Vara, Luiz Antonio Bonat, intimou a PF e o MPF a se manifestarem.

No mesmo dia, o documento foi retirado do processo. Não se sabe as razões. O documento não é assinado por Marcelo Odebrecht, mas por seus advogados.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram