Português   English   Español

Deltan Dallagnol diz que vai orar e jejuar para que Lula seja preso

deltan-dallagnol
Capa: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Procurador-chefe da Lava Jato afirma que concessão pelo STF do habeas corpus ao ex-presidente, na quarta-feira (04), ameaça transformar a Justiça Penal num conto de fadas. Ele ainda ajuda a divulgar abaixo-assinado pedindo que o Supremo mantenha a prisão após condenação em segunda instância.

As informações são do jornal Gazeta do Povo

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba pelo Ministério Público Federal (MPF), procurador Deltan Dallagnol, promoveu neste domingo (1.º), em sua página no Twitter, um abaixo-assinado a favor da prisão após condenação em segunda instância. Ele também disse que, na quarta-feira (4), dia do julgamento do habeas corpus de Lula pelo Supremo Tribunal Federal (STF), vai fazer jejum e orar para que o ex-presidente seja preso.

O manifesto, lançado pela ONG Observatório Social, tinha pelo menos 31 mil assinaturas neste domingo e será entregue na segunda-feira (2) aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – dois dias antes do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pode livrá-lo da cadeia. Lula foi condenado a 12 anos e um mês, no caso do tríplex do Guarujá (SP), pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), a segunda instância judicial da lava Jato.

Deltan também afirmou que a quarta-feira (4), dia do julgamento de Lula, é um “dia D” contra a corrupção na Lava Jato e que ele estará de jejum, oração e “torcendo pelo país”. “Uma derrota significará que a maior parte dos corruptos de diferentes partidos, por todo o país, jamais será responsabilizada, na Lava Jato e além. O cenário não é bom.”

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...