Português   English   Español

Democratas mentem sobre a imigração ilegal nos EUA

Democratas mentem sobre a imigração ilegal nos EUA

Artigo do colaborador Carlos Júnior.

Quando um problema urgente exige uma solução óbvia e imediata, necessitando do apoio bipartidário do Congresso americano para que ela avance, é de esperar que os líderes congressistas e o presidente comportem-se como pessoas adultas e pensem na segurança do povo que o elegeu para representá-los. Não é uma regra imposta, porém implícita e que deveria ser seguida por todos.

Não é o que se vê na oposição democrata ao lidar com a proposta do presidente Donald Trump de construir um muro na fronteira sul dos Estados Unidos. Enquanto culpam Trump pelo fechamento parcial de partes do governo por uma falta de acordo em relação ao tema, os líderes do Partido Democrata mentem repetidamente sobre o tema.

A postura democrata de negar a crise migratória provocada pelos ilegais mostra o começo das bravatas que são repetidas. Para Nancy Pelosi:

O presidente Trump tem que parar de manter o povo americano como refém, deve parar de fabricar uma crise e reabrir o governo.

O que a presidente da Câmara dos Representantes omite é que a crise não foi fabricada por Trump. Fala-se em pouco mais de 11 milhões de imigrantes ilegais vivendo nos EUA, mas as estimativas mais realistas apontam para 30 milhões. Se a culpa pode ser colocada em pessoas, que recaia sobre os presidentes anteriores, que não conduziram bem a questão e permitiram tal número de imigrantes ilegais no país. O atual presidente não é culpado por realizações de administrações antecessoras.

O Department of Homeland Security fez uma estimativa de que quase um terço dos 2 milhões de presos em cadeias americanas são de estrangeiros. Em 2011, o Government Acountability Office estimou um número de 351 mil imigrantes criminosos. Como não existe uma crise provocada pela imigração ilegal descontrolada?

No seu pronunciamento, o presidente Trump deu um exemplo disso:

O coração da América quebrou no dia seguinte ao Natal, quando um jovem policial na Califórnia foi cruelmente assassinado a sangue frio por imigrante ilegal que acabou de cruzar a nossa fronteira.

E foi assertivo ao perguntar:

Quanto mais sangue americano deve ser derramado antes que o Congresso faça o seu trabalho?

Se depender dos democratas, bastante. Mas não é só a questão da criminalidade que expõe os efeitos nocivos da imigração ilegal. O uso do welfare state por imigrantes ilegais é um custo imenso aos americanos que trabalham e pagam impostos. Segundo um estudo de Robert Rector, da Heritage Foundation, as 3,7 milhões de famílias que vivem ilegalmente nos EUA impõe um custo aos contribuintes de US$ 54,3 bilhões por ano. Imigrantes ilegais que chegam com pouca ou nenhuma qualificação estão destinados a usarem dos benefícios governamentais, o que é um tremendo fardo para o trabalhador americano. Não se trata de uma questão de xenofobia ou intolerância – como políticos democratas e a mídia querem vender a questão, mas sim de custos desnecessários que podem ser evitados com uma política imigratória mais incisiva.

Só em 2017 as drogas mataram 72.287 pessoas nos EUA – a maior causa de mortes no país. Grande parte dessas drogas passam na fronteira sul com o México. Será mesmo que Chuck Schumer e Nancy Pelosi são verdadeiros ao afirmarem que não existe crise pela imigração ilegal na fronteira e o muro é desnecessário? A questão da criminalidade, dos custos ao contribuinte americano e das mortes por overdose provocadas pelo consumo de drogas vindas do México são fatos mais que suficientes para afirmar que sim, há uma crise provocada pela imigração ilegal.

‘’Nós somos uma nação de imigrantes, mas também somos uma nação de leis’’. Uma frase como essa seria muito bem proferida por Donald Trump, mas foi Bill Clinton quem a proferiu – um ex-presidente democrata. Não se pode, mais uma vez, alegar xenofobia na ideia do atual presidente de construir um muro na fronteira sul, uma vez que partes de outro muro na mesma fronteira foram construídos pelo mesmo Bill Clinton. Os tempos e o ocupante na Casa Branca eram outros. Toda a verborragia mentirosa e sem sentido dos democratas sobre a proposta atual não foi vista quando ela foi a cabo por um dos seus.

Dois terços dos imigrantes votam no Partido Democrata quando chegam aos EUA. Considerando que só de ilegais as estatísticas mais conservadoras dão 11 milhões, é um eleitorado grande demais para que a esquerda americana abra mão. O interesse político – não abordado pela imprensa – é forte e justifica a postura intransigente de Chuck Schumer e Nancy Pelosi para não deixar que o muro seja construído.

A desinformação por trás da questão existe. É inegável. Porém, o lado que está utilizando-se dela é justamente o que é considerado correto pela grande mídia. O Partido Democrata usa e abusa das mentiras e bravatas para impor sua agenda e impedir avanços na que não lhe é conveniente. E como usa.

Referências: [1] [2] [3] [4] [5]

Artigo escrito pelo colaborador Carlos Júnior

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Assine nossa newsletter...

Inscreva seu e-mail para receber atualizações diárias com as últimas notícias do Brasil e do mundo.

Fique tranquilo(a), assim como você, odiamos spam :) Você poderá remover seu e-mail a qualquer momento.

Deixe seu comentário...

Veja também...