Desabafo de Filha Saudosa

Português   English   Español

Embora seja dia 12, já deixo aqui meu registro, faço questão de deixa-lo. O que dizer da minha mãe? É o que tento ser, sim é isso. O melhor exemplo. Ela deixou seu ensinamento, e o que não foi aprendido não foi culpa do empenho dela em ensinar, mas meu em resistir em aprender. Ela foi esforço contínuo em prol de nós dois, eu e o irmão.

Vivi 23 anos com sua companhia, tempo que embora tenha sido forte e marcante, ficou faltando o tempo que queria ter vivido, a maturidade trás essa sensação. Em um acidente brutal em uma estrada, nós nos separamos.

Hoje, exatamente neste sábado, gostaria de ir à casa dela tomar um café e jogar uma conversa fora. Provavelmente estaria criando algo novo, fosse na cozinha ou nos artesanatos que ela produzia como ninguém. Teríamos assunto.

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

Hoje não penso mais no tempo que tive com ela, que no quantitativo foi considerado bom, 23 anos. Mas penso muito mais no tempo que deixei de estar com ela aprendendo e dividindo meu universo, que parece infinito, 29 anos. Longo tempo já nos separa, parece o dobro. Sinto falta do sorriso, da cara boa experimentando uma receita nova, de um conselho, de discar o número de sua casa e ouvir seu “alô”. Hoje seria “oi Nem”, afinal o celular identifica, e isso facilita bastante.

Sinto faltas pequenas, da rotina que nos afirma que a pessoa está ali. As grandes aventuras vivemos todas, pois fomos muito mais que mãe e filha, e olha nosso universo era diferente, sonhos e expectativas também diferentes. Mas havia um laço que foi cuidado e respeitado até o dia que ela partiu.

Acho que milhares de pessoas viveram essa mesma experiência, e sentem as mesmas faltas. Todavia, nunca uma é como a outra, ou se pode mensurar uma pela outra. Amor é algo que transborda além de nossa condição de entendimento.

Dizem que quando se perde um filho, o mundo para. Enterrar uma mãe também. O meu parou, nunca mais foi o mesmo. Nunca mais um Dia das Mães foi o mesmo, e acho que nunca será.

Dia das Mães é dia de ser filho ou filha, não é dia de se colocar como mãe. É dia de dizer da importância daquela que faz a diferença na nossa história, e isso eu perdi. Muitos já perderam. Entendo que faz parte, considero que possamos sim nos reencontrar, mas o vazio, até então, é diferente. Ser filho sem mãe é muito doído também.

Sou mãe de cinco filhos, e tenho filhos de quatro patas. Exerço a maternidade na alma, mas o segundo Domingo de Maio não se preenche, falta ela para eu dizer Feliz Dia das Mães.

Enfim, hora de secar as lágrimas, soltar o ar preso, e agradecer como faço todos os anos, tive uma maravilhosa mãe e isso é o melhor que a lembrança faz raiz dentro de mim.

Ame sua mãe…
Construa a melhor relação com sua mãe…
Respeite sua mãe…
Cuide de sua mãe…
Aproveite sua mãe…

Um dia você vai ter que viver essa difícil emoção da perda, não espere esse momento para você perceber o quanto ela era grande para você.

Dê um abraço em sua mãe pelo dia dela, ela merece. Mande um beijo por mim.

Os pontos de vista expressos neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente a posição da RENOVA Mídia.

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.