Desertora fala sobre abortos forçados e detentos virando comida de cachorro em prisões na Coreia do Norte

Idiomas:

Português   English   Español
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Uma desertora norte-coreana abriu o jogo sobre suas terríveis experiências em prisão na ditadura comunista de Kim Jong-un.


Ji Hyeon-A relatou à embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, sobre como ela foi forçada a abortar seu bebê depois que foi repatriada da China.

Mulheres grávidas são obrigadas a fazer trabalhos forçados durante todo o dia. Durante a noite, nós escutamos mulheres gritando enquanto seus bebês são abortados.

Quanto à sua própria experiência, a desertora disse que ela foi capturada na China e enviada de volta. Ela foi forçada a abortar sem medicação em uma delegacia de polícia local.

Ji acrescentou que em um centro de detenção, quando os presos morrem, seus cadáveres viram comida para os cães famintos dos guardas.

Siga a RENOVA no TWITTER e acompanhe todas as notícias em tempo real.

A mulher conseguiu fugir para a Coréia do Sul em 2007, onde se reuniu com sua mãe, irmão e sua irmã mais nova.

Ela descreveu a Coréia do Norte como uma “prisão aterrorizante” e disse que “os Kims estão realizando um grande massacre e é um milagre sobreviver por lá“.

 

Com informações de: (1)

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...