Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Destino de Glenn Greenwald está nas mãos do STF

Gilmar Mendes blinda Glenn Greenwald de investigação
COMPARTILHE

Decisão de magistrado de Brasília mantém Greenwald sob a mira do Judiciário.

A decisão do juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Ricardo Leite, joga o destino da denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o militante norte-americano Glenn Greenwald para o Supremo Tribunal Federal (STF). 

Leite acolheu parte da denúncia do MPF, tornando réus os hackers que roubaram as mensagens dos celulares de centenas de autoridades brasileiras.

Citando a existência de uma decisão liminar do ministro do STF, Gilmar Mendes, que proibiu investigações contra Greenwald, o magistrado deixou de analisar o envolvimento do cofundador do site The Intercept Brasil:

“Deixo de receber, por ora, a denúncia em desfavor de Glenn, diante da controvérsia sobre a amplitude da liminar deferida pelo ministro Gilmar Mendes.”

Ao descrever o caso, no entanto, o juiz parece aceitar a tese do MPF: 

“Em determinado momento, e após eliminar certa confusão sobre o assunto tratado, Glenn orienta Luiz Molição a se desfazer das mensagens que estavam armazenadas para evitar ligação dos autores com os conteúdos hackeados.”

Segundo a revista Veja, Ricardo Leite acrescentou:

“Há certa isenção inicial do referido jornalista sobre a incerteza esposada por Luiz Molição. Pelo contexto dos diálogos – já que Luiz Molição revela dúvida em seu comportamento – e, apesar de Glenn mencionar que não poderia ajudá-lo, instiga-o a apagar as mensagens, de forma a não ligá-lo ao material ilícito. Instigar significa reforçar uma ideia já existente.”

O juiz ainda aponta: 

“Há clara tentativa de obstar o trabalho de apuração do ilícito, não sendo possível utilizar a prerrogativa de sigilo da fonte para criar uma excludente de ilicitude. […] Não pode o jornalista sugerir o que o agente de ato ilícito deve fazer para escapar do trabalho persecutório do Estado.”

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

PUBLICIDADE