Ditadura de Cuba afirma que não renunciará ao comunismo

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O ditador de Cuba, Miguel Díaz-Canel, pediu aos Estados Unidos um diálogo em igualdade de condições, ao mesmo tempo em que afirmou que a ilha não renuncia ao comunismo, apesar do desejo de reformar sua economia.

Para o governante, as relações com os Estados Unidos estão em retrocesso desde a chegada de Donald Trump ao poder, mas Díaz-Canel destacou que as portas ao diálogo não estão fechadas.

“Não negamos em nenhum momento as possibilidades de diálogo, mas tem que ser entre iguais, no qual sejamos respeitados e sem condicionar a nossa soberania”, disse.

Esta foi a primeira entrevista do ditador cubano desde que substituiu Raúl Castro em abril e foi exibida a poucas semanas da Assembleia Geral da ONU submeter novamente à votação uma moção contra o bloqueio que Washington aplica à ilha desde 1962.

Díaz-Canel criticou o bloqueio, que considera o “principal obstáculo” para o desenvolvimento de Cuba e uma fonte de penúrias para sua população.

 

Adaptado da fonte IstoÉ

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.